Sobre o Blog

Meu nome é Susana Nogueira, tenho 24 anos e sou professora de Literatura. Eu gosto de ler, dançar, cantar, ir ao teatro e ouvir música. Todo tipo de expressão artística me interessa e por isso abro este espaço para meus alunos poderem ler, produzir e publicar a arte da palavra.

Comentários
  1. Luísa Rabelo - 9° ano A disse:

    To gostando muito do blog , é bem legal vc ver poemas,cronicas… tao criativos e interessantes . E ate msm postar nossos Trabalhos .
    Abraços *-*
    !!!

  2. Izadora disse:

    Professora Susana!! estou adorando o seu blog! é muito interessante

  3. Maria Carolina Silva Alvim.. disse:

    Professora q blog bom em amei…Bjss

  4. luiz henrique conti disse:

    Prof.que legal o site e muito legal da para ler poesia e se divertir e legal o cenario
    muito legal

  5. Proofessora, amei seu bloog. Tá cheio de cooisas interessantes nele. Muito boom !
    beeijos e até amanhã ! ;D

  6. Olá! Se vocês gostam de novidades que tal visitarem nossos blogs COR@ÇÂO DE MINAS, Blog do Nylison, Metalurgia das letras e Poesia e Textura estamos começando a postar, e queremos aprender com vocês, Abraços de Pirapora MG e do ACRE.

  7. fernanda ferolla 7 ano B disse:

    professora muito bomm seu blog !! ameiiii .. bjs

  8. Isabella bernardes gioia disse:

    professora adoreeeei seu blog é d+ . bjsss

  9. luiz henrique couto "7b" disse:

    professora eu adorei seu blog: com poemas,cronicas,fotos e muuuuito mais,seu blog é demais bjos até mais!!!!!!

  10. Luiz Conti disse:

    gente voceis podiam le o livro Açucar Amargo e legal e triste
    e demais leen e legal

  11. camilla giovanna 7 B disse:

    Oi professora, eu li o livro “Cachorrinho Samba”, esse cachorrinho se chama Samba pois quando seus donos estavam escutando samba na radio ele sempre começava a pular só com duas patinhas. Ele era muito carinhoso e brincalhão, mas teve um dia em que el fugiu para a cidade grande e ficou no meio de muitos perigos e pessoas ameaçadoras. No final do livro fica tudo bem e cachorrinho Samba volta para os braços da vovó onde gostava de brincar e receber carinho.
    Não gostei muito desse livro, mas ate que da para ler. Site muito legal fessora, bejim

  12. Isadora Fidelis 7° B disse:

    Oi professora eu vou falar sobre o filme ” Mascara da Ilusão ” então.. o filme mostra coisas que na realidade não existe nem pode existir, o bom do filme e que e todo no suspense todos esperam um bom final do filme e acaba que o fim era tudo um sonho as máscaras,paixão que a menina teve, e tudo um sonho,quando ela acorda ela acorda meio que sem saber oque era aquilo,sem acreditar que aquilo tudo foi um sonho ou até mesmo pode chamar aquilo de um ” pesadelo ” pois tinha poderes,maldades, e aquilo não têm na vida real ! Acho que todos esperavam mais sobre o filme porque o filme começou sem agente saber que era um sonho, e o nome Mascára Da Ilusão e porque tudo que acontece no sonho da menina é uma grande Ilusão nada e real,nada pode acontecer.. eu não gostei muuuuuuuuito do filme rsrs.. mais foi bom assistir, porque agente ficou naquela espectativa,ansiedade,suspense pra saber o final da menina e acaba que tudo era um sonho!

  13. gabriel disse:

    o seu blog e de mais e gostei

  14. Augusto Jaime Vesica disse:

    Esse blog me ajudou muito com as coisas da escola.

    VLW escritor!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  15. sarah disse:

    amei esse blog, tenho orgulho de ser minha professora de literatura e redação!!!é mt bom………………..

  16. Bruna Cassimiro 8"A" disse:

    Professora vim comentar o filme Odisseia .
    Fala sobre o retorno do guerreiro Odisseu na ilha grega de Itaca.Odisseu sobrevive na guerra e quando a guerra termina, caminha até o deus do mar Poseidon que por sua vez quis ser fraterno para ajudar Odisseu,mas Odisseu disse que não precisaria dele pois tinha vencido a guerra sozinho,e Poseidon com muita raiva falou que ele não voltaria para casa.Mas Odisseu tinha uma meta na sua vida, que era retornar para sua esposa Penélope e para o maior conhecimento do seu filho que o deixou, após o seu nascimento.
    Odisseu teve muita dificuldade para voltar para casa tendo que enfrentar deuses e monstros mitologicos.Ele volta para ilha,e volta a reinar com Penélope e seu filho.

  17. fernanda ferolla disse:

    O filme Odisséia é muito bom !! é interessante pois fala do guerreiro odisseu que se perde em uma ilha e tenta voltar a itaca onde era rei … A Odisséia continua sendo muito atual nos nossos dias, porque a exemplo do Odisseu, que sofre com tantas dificuldades para voltar a ilha, também nós, devemos ter metas na nossa história pessoal .

  18. andrelmar disse:

    Oi Susana, parabéns pelo seu blog! Já o estou seguindo!
    Tenho um blog de textos e poesias, e gostaria da sua crítica sobre minhas “criações”, mesmo sem ser seu aluno… ;)

    http://asoutrasfaces.wordpress.com/

    Apreciaria muito sua opinião profissional e pessoal.
    Abçs,

  19. carlos eduardo disse:

    jesus maria jose
    carlos eduardo 8 ano
    professora irei falar sore o livro viagem ao centro mas porem irei falar que e julio verne (criador do livro ) Júlio Verne é um escritor que quase chega a parecer um profeta, pois em seus livros ele prevê, de certa forma, futuras inovações científicas. Ele é, antes de tudo, um excepcional narrador de histórias. Este livro é um testemunho vivo de sua genialidade na esfera da ficção científica.

    resumo
    O Professor Lindenbrock descobre num livro antigo um pergaminho com uma mensagem codificada. Após logo tempo, ele consegue decifrá-lo, com a ajuda do seu sobrinho Axel. O pergaminho fora escrito por Arne Saknussemm, um cientista e explorador islandês, e dizia ser possível uma espantosa viagem ao centro da Terra. O Professor se entusiasma e decide realizar a viagem. Colocando de lado as preocupações de Axel sobre a temperatura no interior da Terra, o Professor insiste em que seu sobrinho o acompanhe na viagem. Após reunir os equipamentos necessários, os dois partem dois dias mais tarde para a Islândia, onde está o ponto de partida da sua viagem: o Monte Sneffels, um vulcão extinto onde se localiza a entrada para o centro da Terra.

    Com o islandês Hans como seu guia, o grupo inicia a dura escalada da montanha, parando ao longo do caminho para descansar nas casas dos islandeses. Durante esses contatos, eles aprendem bastante sobre a cultura local. Após atingirem o topo da montanha, os três descem pela cratera. Após vários dias, eles conseguem definir qual das três chaminés é a que eles podem utilizar para sua descida. Ajudados pelo conhecimento de Hans sobre o uso das cordas, eles descem quase dois quilômetros no primeiro dia. O Professor explica que eles agora estão no nível do mar, e que a verdadeira aventura está apenas começando.

    No fundo da chaminé, eles se deparam com quatro caminhos que podem ser seguidos, e o Professor rapidamente escolhe um deles. Depois de caminharem vários dias e ficarem quase sem água, eles descobrem que estão num beco sem saída e precisam retroceder. Finalmente, eles chegam à encruzilhada. Axel desmaia e supõe que eles irão retornar à superfície. Embora o Professor esteja preocupado com seu sobrinho, ele pede por mais um dia para acharem água antes de abandonar a expedição. Os três seguem por um caminho diferente e logo encontram água, graças a Hans.

    Dias mais tarde, eles encontram uma passagem praticamente vertical, através da qual eles descem a cerca de trinta quilômetros abaixo da superfície. Continuando a descer rapidamente, Axel segue à frente dos demais e descobre estar sozinho. Em desespero, ele retrocede no seu caminho, mas logo está irremediavelmente perdido. Após quatro dias de muito sofrimento, ele finalmente se reencontra com seu tio e com Hans.

    Enquanto Axel está se recuperando, ele ouve o som de ondas e acha que vê luz à distância. De fato, os três chegaram a uma vasta extensão subterrânea de água, à qual chamam de Mar Central. Explorando a área ao redor do mar, os viajantes encontram o que parece ser uma floresta, mas na verdade são cogumelos com quinze metros de altura. O Professor explica ao surpreso Axel como é possível que plantas sobrevivam embaixo da terra. Eles continuam a explorar as redondezas, achando ossos de mastodontes e outras evidências de plantas e vida animal.

    O Professor decide que eles precisam cruzar o oceano para continuar sua descida rumo ao centro da Terra. O habilidoso Hans amarra troncos de madeira fossilizada pelo mar e constrói uma jangada, equipando-a com um mastro e um leme. Os três zarpam na embarcação improvisada e se surpreendem com a velocidade que conseguem no mar. Axel é encarregado de manter um registro fiel das suas observações. Ele lança um anzol e logo pesca um peixe de uma espécie extinta há muito tempo no mundo da superfície. Axel sonha acordado sobre grandes plantas e animais, visualizando a evolução da Terra e de seus habitantes.

    O Professor se impacienta porque o mar é muito mais largo do que ele esperava e eles não estão mais descendo. Tentando descobrir a profundidade do mar, o Professor ata uma barra de ferro a uma corda e a lança pela borda da jangada. A corda vai até duzentas braças de profundidade e, ao ser puxada de volta, a barra mostra marcas que parecem ser de dentes. Dias mais tarde, dois grandes monstros vêm à tona, lutam e quase inundam a jangada antes de desaparecerem na distância. Mais tarde, os três avistam o que pensam ser outro monstro gigante, mas descobrem ser uma ilha com um gêiser de água fervente. Axel sugere que deve existir ali alguma fonte interna de calor, mas o Professor se recusa a ouvir qualquer coisa que refute sua própria teoria.

    Na manhã seguinte, desaba uma tremenda tempestade que se prolonga por vários dias. Os exploradores amarram os equipamentos e a si mesmos à jangada para evitar serem lançados ao mar. Uma bola de fogo salta dentro da embarcação, destrói a vela e o mastro e os ameaça com seu poder elétrico.

    Finalmente, a jangada é lançada numa costa rochosa no meio da tempestade, e Hans carrega Axel para um lugar seguro. Quando a tempestade amaina, eles descobrem, para seu desânimo, que tinham sido lançados de volta para a mesma praia de onde tinham partido. O Professor fica enfurecido e insiste em repetir a travessia marítima. Enquanto Hans repara a jangada, o Professor e Axel vão explorar a área, pois eles não tinham voltado para exatamente o mesmo ponto do litoral. Os dois encontram imensas conchas, com até cinco metros de comprimento, e se deparam com um grande campo de ossos. Axel acha que os ossos podem conter exemplares de toda a história da vida animal. O Professor fica deliciado ao encontrar um crânio humano. Axel compartilha o entusiasmo do seu tio, pois sabe da importância do seu achado para a Ciência, que debatia na época justamente a possibilidade do Homem ser muito mais antigo do que se imaginava. Mais tarde, os dois homens encontram diversos esqueletos e imaginam se estes ossos tinham vindo parar ali por alguma razão desconhecida ou se aqueles seres sempre tinham vivido sob a terra.

    Continuando suas explorações, eles chegam a uma bela floresta de samambaias e pinheiros incolores. Eles avistam animais enormes e vêem um ser humano com quatro metros de altura à distância. Com medo de serem vistos pelo gigante, eles se afastam dali com muitas questões sobre a origem do Homem. Enquanto eles refazem o caminho até a praia, Axel avista uma adaga enferrujada. O Professor examina a arma e conclui que ela datava do século XVI. Ele acha que provavelmente ela tinha sido utilizada para gravar alguma inscrição nas pedras. Logo eles encontram as letras “A.S.” entalhadas ao lado da entrada de um túnel escuro e sombrio. Os dois deduzem que este tinha sido o caminho seguido por Arne Saknussemm e seguem pela passagem. No entanto, em pouco tempo eles chegam a uma barreira de granito sólido, que parece ter desmoronado recentemente.

    Os três decidem abrir seu caminho pelo túnel usando explosivos. Eles preparam a carga e se retiram para a jangada. A explosão é terrível e abre uma fenda profunda, que parece estar engolindo o Mar Central. Eles são lançados para o fundo da jangada e são levados pelas águas. Axel calcula que a velocidade da jangada seja de pelo menos cento e cinqüenta quilômetro por hora, enquanto são arrastados para o fundo, na escuridão do centro da Terra. Sua queda é interrompida bruscamente pelo que parece ser um enorme jato de água.

    Enquanto Axel sonha meio acordado, ele imagina que a jangada tinha tocado em terra e que ele estava numa pequena caverna. Um monstro, metade tubarão e metade crocodilo, e um grande macaco se dirigem para ele, param ao avistar um ao outro e se envolvem num furioso combate. Quando o sobrevivente se lança na direção de Axel, ele acorda e descobre que ainda está na jangada. No entanto, agora ela está subindo, pois a água abaixo da jangada está sendo empurrada por uma estreita chaminé. Axel sente-se devorado pela fome, mas a temperatura crescente da chaminé se torna sua principal preocupação. Logo, o grupo descobre que o líquido sob a jangada está fervendo. O Professor explica que uma erupção vulcânica está prestes a acontecer, e eles estão no topo do fluxo de lava que se move velozmente para a superfície.

    Axel desperta para encontrar Hans segurando-o no lado de fora de uma montanha. Os três tinham sido cuspidos para longe por um vulcão e sobreviveram, sem ficar muito feridos. Enquanto descem a montanha, eles descobrem com um jovem pastor que estão na ilha de Stromboli, na Itália. Depois de várias peripécias e muita incredulidade, os exploradores voltam para Alemanha, onde são tratados como heróis e as façanhas do Professor Lindenbrock ganham o devido reconhecimento.

  20. Pedro Henrique disse:

    Pedro Henrique M. R. Jubé 1° ano

    Análise comparativa entre o livro “O Auto da Barca do Inferno” e o filme “O auto da Compadecida”
    Semelhanças:
    Tanto em uma quanto em outra os personagens cometei muitos erros, por exemplo,

    1-Ambição pelo dinheiro.
    2-Personagens preguiçosos.

    3-Muitos pecados, que acaba comprando a passagem do inferno sem mesmo saber o porquê vão pra lá.

    4-Um dos principais personagens, começa a zomba do diabo.

    5-Os que escapam são sempre aqueles mais pobres e humildes.

    Diferenças:
    No Auto da Barca do Inferno, o anjo é implacável ao determinar a sentença divina que cabe aos pecadores, e para a qual não há apelação. É utilizada a representação da morte, do juízo e do destino posterior dos homens, com argumentos satíricos e divertidos. Nem o anjo, nem o diabo esperam modificar homens e mulheres. Eles rematam, não conduzem o processo. Não criam condições, apenas sublinham aquelas que as personagens se pautaram.

    No Auto da Compadecida, o Juízo Divino caracteriza-se de forma diferente., pois João Grilo apela e a Compadecida interfere em seu favor.

    Ariano Suassuna, em O Auto da Compadecida faz uma releitura do aspecto formal do auto, no qual insere elementos diferentes sem haver muitas diferenças entre os personagens.

    A figura do parvo, de Gil Vicente e de João Grilo, de Suassuna, se aproximam quando representam o homem simples em busca da sobrevivência e que por isto, cometem pecados.

    Opinião:
    Em minha opinião, as duas obras mostram a decisão de ir para o inferno ou pro céu, tem sempre um padre que pensa que vai para o céu, mas no caso do auto da compadecida eles revivem.

  21. Olá, desejo por um link do seu blog no meu blog na área destinada aos parceiros..aguardo resposta

  22. Larissa disse:

    07 de abril de 1934
    Senhor
    Eu acabo de chegar no Brasil e vejo pessoas estranhas, com gírias estranhas. Quando cheguei lá, uns homens me olhavam de cima abaixo. Eles me chamam de “véi” , eles trocaram a minha roupa e me levaram para um lugar que se chama ”shopping” tinha muitas pessoas, mercadorias, etc. Eles me perguntou se eu tinha celular, que coisa era essa? Fiquei me sentindo muito estranho no meio daquilo. Então me deram um celular, chamado “galaxy” para mim Galaxy significava galáxia. Chegando na casa deles, meu Deus, que casa, aquilo parecia um mundareu! Eles foram fazer um jantar, tinha uma panela de pressão, faz uma barulheira..mais faz rapidamente o feijão. Vossa Alteza, estou adorando a viajem aqui no Brasil, tudo aqui e novo, tudo aqui e bom.
    Saudação
    Pero Vaz

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s